sábado, maio 25, 2024
Investimento

Principais diferenças entre títulos e ações

Títulos e ações são duas formas fundamentais de investimento que diferem na sua natureza e na forma como representam a participação Principais diferenças entre títulos e açõesnuma empresa ou entidade.

Um título é essencialmente um empréstimo que o investidor concede a uma entidade, seja uma empresa ou um governo. Em troca, o investidor recebe pagamentos periódicos de juros e, no vencimento, o valor de face do título.

Glossário do conteúdo do artigo:

Abra uma conta demo gratuita agora em uma corretora 100% segura

Os títulos são geralmente considerados investimentos mais seguros, pois oferecem retorno previsível e prioridade no pagamento em caso de falência da entidade emissora.

Por outro lado, uma ação representa uma participação acionária em uma empresa. Os acionistas compartilham os riscos e benefícios da empresa e têm direitos como votar nas decisões corporativas e receber dividendos se a empresa os distribuir.

No entanto, as ações são consideradas investimentos mais arriscados do que os títulos, uma vez que o seu valor está sujeito às flutuações do mercado e não oferecem pagamentos garantidos.

Títulos? Ações? O que são?

Para entender completamente as diferenças, primeiro você deve entender bem quais são as características de ambos.

Ações

Uma ação representa uma forma de propriedade ou participação em uma empresa. Quando uma empresa emite ações, ela divide sua propriedade em pequenas partes iguais que são disponibilizadas ao público para compra.

Cada uma dessas partes é conhecida como ação, e aqueles que as possuem são conhecidos como acionistas.

O valor de uma ação é determinado por uma série de fatores, incluindo o desempenho financeiro da empresa, as perspectivas de crescimento, as condições econômicas e o comportamento do mercado.

Os acionistas têm direitos sobre os lucros e ativos da empresa proporcionalmente ao número de ações que possuem. Isto inclui o direito de receber dividendos, caso a empresa decida distribuir lucros aos acionistas.

Esses acionistas têm o direito de participar da tomada de decisões importantes da empresa. Isto é feito através da votação nas assembleias de acionistas, onde são decididas questões cruciais como eleição de administradores, fusões e aquisições, entre outras.

As ações são consideradas uma forma de investimento de maior risco em comparação com outras alternativas, como títulos, uma vez que o seu valor pode flutuar significativamente em resposta às mudanças no mercado e no desempenho da empresa.

Títulos

Os títulos representam instrumentos de dívida financeira emitidos por entidades, sejam governos, empresas ou outras organizações, com a finalidade de levantar capital.

Ao adquirir um título, o investidor está efetivamente concedendo um empréstimo à entidade emissora em troca de um retorno fixo ou variável, conhecido como juros, que é pago em intervalos regulares até o vencimento do título.

O valor nominal do título, conhecido como valor nominal, é o valor que a entidade se compromete a reembolsar ao investidor ao final do prazo estipulado. Este aspecto confere aos títulos uma natureza mais previsível em comparação com outras formas de investimento, uma vez que pagamentos estritamente definidos proporcionam maior certeza sobre o retorno do investimento.

A relação entre o preço atual do título e o seu valor nominal determina o retorno, conhecido como taxa de juros, que o investidor obtém. Se o título for negociado a um preço inferior ao seu valor nominal, o rendimento será maior e vice-versa.

Os títulos são considerados investimentos relativamente menos arriscados em comparação com as ações, uma vez que o pagamento de juros e o reembolso do valor nominal têm prioridade em caso de problemas financeiros da entidade emitente.

Essa característica torna os títulos atrativos para investidores que buscam um investimento mais conservador e previsível.

diferenças entre títulos e ações

Quais são as diferenças mais notáveis entre um título e uma ação?

Ao compreender as definições básicas que estruturam o conceito de títulos e ações, é muito mais fácil compreender as diferenças entre os dois.

Suas diferenças estão ligadas a:

1.   Comparação entre renda e ganhos de capital

Embora o objetivo de ambas as formas de investimento possa parecer convergente na geração de lucros, as ações e os títulos seguem caminhos muito diferentes para atingir este objetivo: um através do rendimento fixo regular e o outro principalmente através de ganhos de capital.

Os títulos proporcionam renda aos investidores por meio do pagamento de juros, conhecidos como cupons, que são estabelecidos no início do prazo do título.

Estes pagamentos são efetuados periodicamente até à data de vencimento do título, cuja periodicidade dependerá do tipo de título em questão. Assim que o título atinge o vencimento, o investidor é reembolsado no valor total pelo qual foi adquirido inicialmente.

Muitas ações também oferecem pagamentos regulares aos acionistas na forma de dividendos. Ao contrário dos cupons, esses tipos de pagamentos podem variar de um período para outro e podem nem mesmo ser pagos.

Em geral, as empresas recentes e de rápido crescimento tendem a abster-se de pagar dividendos ou a fazê-lo a uma taxa mais baixa, enquanto as empresas estabelecidas e de maior dimensão tendem a distribuí-los, desde que obtenham lucro.

Para que um investidor obtenha lucros com as ações, é necessário vendê-las por um preço superior ao da compra inicial ou receber dividendos. Isto significa que, ao contrário dos títulos, que oferecem um retorno fixo, os investidores em ações não podem prever antecipadamente quanto, se houver, o retorno que o seu investimento irá gerar.

No caso dos títulos, existe um limite pré-estabelecido quanto ao que o investimento inicial pode gerar. Por outro lado, no caso das ações, em princípio, não há limite para o seu retorno potencial.

2.   Dívida e propriedade como formas de investimento

Ao adquirir um título, o investidor está financiando uma entidade, seja uma empresa ou um governo, com expectativa de reembolso e juros pré-estabelecidos.

O título pode ser conceituado como um acordo contratual entre o investidor e o emissor, onde o titular do título atua como credor e aguarda a restituição do capital emprestado.

Ao contrário das ações, os detentores de títulos não têm influência sobre a entidade mutuária e não têm qualquer participação nas suas operações comerciais; Estes são simplesmente credores cujo capital deve ser reembolsado.

Esta distinção fundamental entre títulos e ações reside na natureza do investimento. A compra de ações confere ao investidor uma participação acionária na empresa, conferindo-lhe o status de coproprietário.

Além de partilharem os potenciais triunfos ou infortúnios futuros da empresa, os acionistas normalmente exercem o direito de voto, o que lhes permite influenciar as decisões de gestão da empresa.

3.   Perfil de risco

Tal como discutido anteriormente sobre as principais diferenças entre ações e títulos, foi enfatizado que, embora os títulos tenham uma taxa de retorno definida, as ações não estão sujeitas a um limite definido no seu potencial de retorno.

É comum que os títulos sejam considerados uma alternativa às ações nas suas estratégias de investimento, entendendo que os perfis de risco associados a ambas são notoriamente diferentes.

A perspectiva de retornos das ações potencialmente mais elevados acarreta inerentemente maior risco.

Risco em ações

Um dos riscos iminentes ao investir em ações é a possibilidade de, após a aquisição, o valor da ação diminuir.

Esta contingência pode surgir principalmente do fraco desempenho empresarial, embora também possa ser influenciada por vários outros elementos.

Um exemplo concreto poderia ser o dano à reputação de uma empresa em resultado de um escândalo, o desempenho numa indústria que regista um declínio de popularidade ou a imposição de novos regulamentos que complicam as suas operações.

Risco de títulos

Embora os títulos sejam normalmente vistos como a alternativa de investimento “mais segura” entre as duas, é essencial lembrar que não são isentos de risco.

Os títulos estão expostos ao risco de inadimplência, ou seja, à possibilidade de o emissor deixar de efetuar o pagamento de juros ou de reembolsar o principal acordado.

O nível de risco associado a um título está diretamente ligado ao perfil de crédito do emitente. Por um lado, existem títulos de elevada qualidade creditícia, emitidas por entidades com uma sólida avaliação de crédito, consideradas de baixo risco mas que oferecem taxas de juro relativamente baixas.

Por outro lado, existem títulos de menor grau de crédito, conhecidos como títulos de alto rendimento ou “lixo”. Embora ofereçam rendimentos mais elevados, são emitidos por entidades com menor notação de crédito, o que implica um maior nível de risco.

Contudo, ao avaliar o equilíbrio risco-recompensa entre títulos e ações, é imperativo ter em mente que, em caso de liquidação de uma empresa, os detentores de títulos têm prioridade sobre os acionistas na distribuição dos ativos restantes.

Abra uma conta demo gratuita agora em uma corretora 100% segura

Devo investir em títulos ou ações?

Decidir entre investir em títulos ou ações é uma escolha crucial e depende de vários fatores, incluindo seus objetivos financeiros, tolerância ao risco e horizonte temporal.

Se procura um investimento mais conservador e previsível, os títulos podem ser a opção certa. Oferecem pagamentos regulares de juros e reembolso do principal no vencimento, proporcionando uma fonte de renda relativamente estável.

Os títulos também tendem a ser menos voláteis do que as ações, o que pode ser reconfortante para os investidores que procuram evitar flutuações significativas no valor dos seus investimentos.

Por outro lado, se você estiver disposto a assumir maiores riscos em busca de maior potencial de crescimento, as ações podem ser a alternativa adequada.

Ao investir em ações, você se torna co-proprietário da empresa e tem a oportunidade de se beneficiar de ganhos de capital e dividendos. Embora as ações possam sofrer maiores flutuações no curto prazo, historicamente tendem a oferecer retornos mais elevados no longo prazo.

Uma estratégia comum é diversificar o seu portfólio, o que envolve investir em uma combinação de títulos e ações. Esta diversificação pode ajudar a mitigar o risco, equilibrando a estabilidade dos títulos com o potencial de crescimento das ações.

Lembre-se que a assessoria de um profissional financeiro pode ser inestimável nesse processo. Eles podem ajudá-lo a avaliar sua situação financeira, metas e tolerância ao risco para determinar a combinação de títulos e ações que melhor atende às suas necessidades.

Como investir em ações e títulos?

Investir em ações e títulos é uma estratégia valiosa para construir um portfólio diversificado e equilibrado.

Passos simples para aprender como fazer:

Investir em ações

  • Educação e análise: Antes de começar, é fundamental se informar sobre o mercado de ações e analisar as empresas que lhe interessam. Examine seus relatórios financeiros, desempenho histórico e perspectivas futuras.
  • Selecione uma plataforma de investimento: Abra uma conta em uma plataforma de investimento ou corretora de valores. Certifique-se de escolher um que ofereça ferramentas de pesquisa e análise, bem como acesso a uma ampla variedade de ações.
  • Defina seus objetivos e tolerância ao risco: Determine suas metas de investimento e quanto risco você está disposto a correr. Isso influenciará a composição da sua carteira de ações.
  • Diversificação: Não coloque todos os seus recursos em um só estoque. Diversifique seu portfólio escolhendo ações de diferentes indústrias e setores para reduzir o risco.
  • Faça compras: Depois de identificar as ações nas quais deseja investir, faça compras através de sua plataforma de investimentos. Considere se você deseja investir no longo prazo ou se está interessado em negociações mais ativas.

Investir em títulos

  • Entenda os tipos de títulos: Familiarize-se com os diferentes tipos de títulos disponíveis, como títulos corporativos, governamentais e municipais. Cada um tem características e riscos diferentes.
  • Avaliação de risco: Tal como acontece com as ações, avalie sua tolerância ao risco. Os títulos têm diferentes níveis de risco dependendo do emissor e do tipo de título.
  • Compra através de plataformas ou intermediários: Você pode comprar títulos através de corretores de bolsa ou plataformas de investimento semelhantes às usadas para ações.
  • Considere fundos de títulos: se preferir uma gestão mais passiva, você pode investir em fundos de títulos que agrupam uma variedade de títulos em um único fundo.
  • Acompanhe: assim como acontece com as ações, é importante acompanhar seus investimentos em títulos e revisar periodicamente seu portfólio para garantir que ele permaneça alinhado com seus objetivos.

Abra uma conta demo gratuita agora em uma corretora 100% segura

Oscar Martinez

"Enfrente o risco e duplique o lucro." Sou pesquisador de startups e investidores no mercado de ações. Desenvolvo estratégias no mercado de câmbio e atuo como jornalista economista.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *