segunda-feira, abril 15, 2024
Investimento

Psicotrading e a gestão emocional do investidor

O psicotrading e a gestão emocional do investidor são aspectos fundamentais no mundo financeiro que influenciam diretamente o sucesso psicotradinga longo prazo de qualquer operador.

Ao contrário da visão tradicional que se concentra exclusivamente na análise técnica e nos fundamentos, o psicotrading incorpora a dimensão psicológica do investidor, reconhecendo que as emoções podem ter um impacto significativo nas decisões financeiras.

No cerne da psicotrading está a compreensão de que os investidores nem sempre tomam decisões racionais. Medo, ganância, impaciência e euforia são emoções comuns que podem atrapalhar o julgamento e levar a decisões impulsivas.

Portanto, a gestão emocional do investidor torna-se um elemento crucial para neutralizar estes efeitos negativos.

Por tudo isso, é vital dominar estratégias práticas para cultivar a inteligência emocional na área de negociação. Da autoconsciência a técnicas específicas para gerenciar o estresse durante períodos voláteis de mercado.

Glossário do conteúdo do artigo:

Abra uma conta demo gratuita agora em uma corretora 100% segura

O objetivo principal deve ser sempre fornecer ferramentas eficazes para que os investidores possam navegar pelas complexidades do mercado com uma mentalidade equilibrada.

À medida que você aprende gradualmente sobre psicotrading, fica muito mais fácil entender como a combinação de habilidades técnicas e emocionais pode melhorar a tomada de decisões financeiras, contribuindo assim para uma abordagem mais abrangente e sustentável para o sucesso no mundo do trading.

Psicotrading: Como a mente influencia o mundo financeiro

O psicotrading pode ser definido em palavras mais simples como uma componente essencial da atividade financeira, distinguindo-se pela sua abordagem profissional centrada na gestão das emoções no domínio do trading.

Ao contrário da percepção comum que associa a negociação a um cassino, esta abordagem vai além de emoções efêmeras e apostas impulsivas.

Para um trader em seus primeiros passos, o desafio está em evitar ser absorvido pelas emoções inerentes às vitórias e às derrotas. Somente aqueles com experiência consolidada podem cultivar a resistência necessária para manter um controle rigoroso sobre suas reações emocionais, um princípio fundamental do psicotrading.

No campo do trading, existe uma premissa que lembra um provérbio: quanto maior o nível de emotividade, menor a eficiência no trabalho.

Embora possa parecer simples em teoria, manter o controle das emoções e implementar mecanismos para suprimir sentimentos e experiências é extraordinariamente complexo.

Nos estágios iniciais, evitar regozijar-se com o sucesso ou angustiar-se com os fracassos pode ser quase impossível. No entanto, aprender a reduzir a emotividade facilitará o caminho para o sucesso como trader.

Este é o cerne da psicotrading; Caso contrário, corre-se o risco de fazer parte das estatísticas desanimadoras daqueles que desistem no meio do caminho.

A síndrome do cassino

É importante ter em mente que, ao contrário de um cassino, onde a sorte dita o rumo, a negociação exige manter constantemente a cabeça fria.

Decidir o rumo das operações, interrompê-las completamente ou aumentar seu volume exige reflexão, pois decisões precipitadas transformam a atividade em um jogo de azar.

O objetivo de qualquer negociação é obter lucros, não perseguir prêmios. A sorte momentânea pode ser agradável, mas é efêmera e ilusória.

É claro que não se espera que todos os traders adotem a imagem de indivíduos impetuosos e enérgicos nos mercados, como frequentemente retratado em filmes ou notícias.

No entanto, esta representação serve como um bom ponto de referência para compreender como as emoções influenciam o nosso interior. Identificar o inimigo, a própria emotividade, é a principal dificuldade a ser superada.

Quais são as emoções que influenciam a tomada de decisões durante a negociação?

As emoções pessoais representam desafios significativos para o operador financeiro. A disciplina da psicologia aplicada ao trading torna-se uma ferramenta essencial para identificar e gerir estas emoções de forma eficiente.

Classicamente, são identificadas quatro expressões emocionais associadas à negociação:

  • Medo
  • Avareza
  • Esperança
  • Euforia

Paradoxalmente, as emoções positivas não contribuem positivamente para o desempenho do operador financeiro e, na verdade, podem induzir a tomadas de decisão impulsivas, desviando-se do planeamento inicial.

Para compreender a influência prejudicial de ser governado pelas emoções durante a negociação nos mercados financeiros, examinemos as principais situações com exemplos típicos que a maioria dos traders enfrenta.

A capacidade de reconhecer e neutralizar estas emoções posiciona-se como uma competência crítica no campo do trading profissional, permitindo a tomada de decisões mais objetivas e informadas.

Abra uma conta demo gratuita agora em uma corretora 100% segura

Medo

Como em qualquer atividade que envolva risco, o medo estará sempre presente. No psicotrading, o medo geralmente é classificado de duas maneiras:

  • Medo primário
  • Medo secundário
Medo primário

Quando você embarca em sua jornada comercial, surge a apreensão antes de executar a primeira negociação. Ao analisar gráficos e observar cotações, sente-se um medo inexplicável em relação à rentabilidade daquela primeira transação.

  • Indecisão : Ao decidir abrir a primeira negociação, surge instantaneamente um sentimento de incerteza. E se não for favorável? E se eu não estiver devidamente preparado?.
  • Reservas : A dúvida, um fenômeno psicológico derivado do pensamento crítico, entra em jogo no processo de tomada de decisão. São analisadas múltiplas perspectivas, pesando prós e contras, e as emoções influenciam esta avaliação.
  • Insegurança crônica : Em certos casos, o medo inicial de abrir a primeira operação pode se transformar em insegurança crônica. Algumas pessoas, mesmo sem agir, sentem medo de entrar no mercado por semanas ou mais.

Para detectar a probabilidade de enfrentar o medo inicial, é fundamental considerar fatores predisponentes, como:

  • Tendência à análise prolongada e improdutiva das situações, “andando em círculos” em torno do mesmo problema.
  • Incerteza persistente mesmo depois de tomar decisões, demonstrando preocupação mesmo quando a tarefa está concluída.
  • Revisão constante das ações, como fechar diversas vezes a porta do carro.
  • Autoexigência e alta responsabilidade para com os outros.
Como superar o medo de acordo com a psicotrading?
  • “Vou perder dinheiro” – Comece com um pequeno depósito. Não é necessário planejar inicialmente operações em grande escala. Mesmo que a primeira negociação não seja lucrativa, considere a perda como um investimento inicial que terá retorno no futuro.
  • “Não tenho conhecimento suficiente. Ainda tenho que aprender” – A avaliação da qualidade do trader é feita através da análise dos resultados das operações realizadas. A suficiência do conhecimento não pode ser determinada sem resultados tangíveis.
  • “Se eu perder a primeira operação, então é o destino. “Não é minha praia” – Fatalismo não é produtivo na negociação. Negociar com uma mentalidade baseada no destino é ineficaz.
  • “Se eu perder dinheiro, então sou um mau trader” – A avaliação de habilidades é realizada após 7 a 10 negociações. A análise consistente dos resultados ajuda a identificar e corrigir erros.
  • Estou com medo e não posso fazer nada a respeito” – Aceite o medo como normal, mas aja mesmo assim. Selecione instrumentos de baixa volatilidade, crie um plano de negociação de curto prazo e execute negociações de baixo volume. Apesar do coração acelerado inicial, a experiência revela que o mundo continua, o computador funciona e o mercado não reage drasticamente em segundos.
Medo secundário

O estabelecimento do medo secundário surge mais de experiências negativas do que de percepções irracionais sobre as próprias capacidades, tornando-se assim um desafio mais complexo de enfrentar em comparação com o medo primário.

O que gera o medo secundário?
  • Transações desfavoráveis : esse tipo de medo se manifesta após transações malsucedidas. Às vezes, basta uma posição não lucrativa , enquanto, em outras, o medo surge após uma série de operações com resultados não muito favoráveis.
  • Sensação de desamparo : O medo secundário torna-se mais arraigado que o medo primário, pois se baseia em fatos “comprovados” de fracasso: previsões erradas, análises incorretas, interpretação errônea de dados fundamentais e, como consequência, perdas.

Ao contrário do medo primário, o medo secundário pode mergulhar até mesmo indivíduos autoconfiantes num estado de desamparo e depressão, ofuscando a sua capacidade de analisar adequadamente o mercado.

Esse tipo de medo impacta não apenas o estado emocional, mas também as capacidades intelectuais.

Por que surge o medo?

Esta situação é comparável a aprender a nadar. Se uma pessoa nunca nadou antes, ela sente medo ao entrar na água pela primeira vez. No entanto, esse medo é superado mais facilmente do que o de alguém que passou por uma experiência de quase afogamento.

Embora neste último caso superar o medo possa ser mais desafiador, ainda é valioso fazê-lo para evitar a repetição de erros do passado.

Na psicologia comercial, esse raciocínio é aplicado de forma análoga aos mercados financeiros. Ao contrário do exemplo da natação, nenhum trader é forçado a mergulhar nas complexidades do mercado desde os primeiros minutos.

É mais sensato avançar gradualmente, dando pequenos passos, o que é menos intimidante. Porém, se foram cometidos erros e surge o medo da sua repetição, resistir é fundamental, pois tudo é corrigível.

O que você deve levar em consideração?

  • Risco inerente : Todo trader vivencia esta fase em seu desenvolvimento pessoal. Como não existem investidores isentos de erros, a fase do medo secundário é inevitável.
  • Ações a tomar : Para dissipar dúvidas, é fundamental compreender a sua origem. É necessário investigar a raiz dos erros que levaram a resultados insatisfatórios.
Soluções
  • Detalhe todos os pensamentos e previsões em um diário comercial por pelo menos duas semanas.
  • Determine quantas negociações teriam sido lucrativas se tivessem sido concluídas e quantas não teriam sido lucrativas.
  • Tenha em mente que, se predominarem resultados positivos de acordo com as previsões, os erros cometidos são provavelmente resultado de influências emocionais (por exemplo, não cumprimento do plano de negociação).
  • Se a relação for 50/50 ou se houver mais previsões negativas do que positivas, é necessário analisar cada trade para identificar e entender onde foi cometido o erro.
Como evitar o medo no psicotrading

Primeiro, surgem sinais técnicos e é dada importância excessiva a informações supérfluas. Em segundo lugar, o trader tende a acreditar que pode “controlar” o comércio intervindo no seu desenvolvimento, o que implica alterações não planejadas no plano comercial.

Para evitar esta situação, recomenda-se dedicar mais tempo ao desenvolvimento do plano de negociação, detalhando previamente todas as ações a tomar no mercado e estabelecendo limites inquebráveis.

“Eu fecho negociações abertas mais cedo devido à intolerância a perdas. Prefiro aplicar um pequeno stop loss em vez de esperar que o preço atinja o nível predefinido.”

Esta atitude, identificada pelo psicotrading, representa uma das formas mais comuns de medo. Os traders tendem a fechar posições perdedoras assim que o preço mostra movimentos “negativos”.

Ao determinar o local ideal para colocar uma ordem de stop loss, é aconselhável usar não apenas dois ou três critérios, mas pelo menos quatro a cinco. “Fecho a ordem antecipadamente, mesmo quando meu plano de negociação indica o contrário, assim obtenho lucro mínimo.”

Nesta situação, após fechar a negociação e observar que o mercado segue a direção prevista no plano de negociação, há uma tendência de reabertura da posição. No entanto, esta nova abertura resulta muitas vezes num encerramento antecipado, limitando os lucros a uma fração do montante inicialmente planeado.

Para contrariar o medo neste caso, sugere-se, ao começar a gerar lucros, em vez de fechar a operação com lucro mínimo, ajustar o stop loss para o ponto de equilíbrio ou utilizar um Trailing Stop.

Se os lucros continuarem a aumentar e ultrapassarem o próximo nível de resistência, é recomendado mover o stop loss novamente.

Abra uma conta demo gratuita agora em uma corretora 100% segura

Avareza

Geralmente, no campo do psicotrading, a ganância e o medo são apresentados como emoções antagônicas. Um trader que sente medo dificilmente se entregará à ganância ao mesmo tempo.

No primeiro cenário, o trader teme entrar no mercado, enquanto no segundo, adota uma percepção irrealista do mesmo, resultando em perdas por ambições excessivas.

A única ligação perceptível entre o medo e a ganância reside na sua capacidade de serem regulados através de um plano de negociação e no desenvolvimento de competências em psicologia comercial e gestão emocional.

Origem da ganância

A ganância se manifesta em duas circunstâncias: ou o comerciante está predisposto desde o início, ou surge como resultado de operações bem-sucedidas.

“Eu poderia ganhar mais” – A gênese da ganância começa com o pensamento “Eu poderia ganhar mais”. Esse pensamento aumenta a autoconfiança, gerando a crença de poder controlar o mercado e o desejo de utilizar estratégias agressivas.

Motivação por trás deste pensamento:

O desejo de maiores lucros surge geralmente após múltiplas negociações bem-sucedidas, acompanhado pela convicção de que riscos maiores poderiam ter sido assumidos.

Ações a serem tomadas:

A ganância se posiciona como um dos sentimentos mais nocivos, pois, quando manifestada, diminui a propensão à cautela.

Embora seja inegável que mudar seu temperamento seja difícil, você pode aprender a controlá-lo e organizar seu trabalho de maneira eficaz. Aqui, como no caso do medo, um plano de negociação torna-se uma ferramenta essencial.

Embora a manifestação do medo ameace afetar os lucros potenciais, a ganância aumenta as perdas potenciais, sublinhando a necessidade crítica de uma abordagem disciplinada e estruturada à negociação.

Identificação da ganância no psicotrading

Essa situação é recorrente e característica de quem está dando os primeiros passos no trading.

Embora muitos comecem com a intenção de negociar de forma estável e calma, a presença de movimentos de preços em tempo real muitas vezes desperta ansiedade e o impulso para agir imediatamente.

Podemos equiparar esta situação às experiências cotidianas:

Imagine que você se aproxima de um ponto de ônibus e vê que o ônibus sai sem esperar. Você correria atrás dele? Na maioria dos casos, esta ação não teria sentido; Perseguir algo que se move mais rápido que você é impraticável. Em vez disso, a opção mais sensata e segura seria esperar por outro ônibus.

Na área dos mercados financeiros a situação é análoga, embora aqui não haja “chegada tardia” ou motivos para correr atrás de um ônibus. Para gerir impulsos incontroláveis, é imperativo controlar as emoções através da psicotrading, analisar a situação e desenvolver um plano de negociação.

Para isso, é fundamental observar meticulosamente todos os gráficos e reservar um tempo para selecionar a oportunidade mais adequada. O estudo cuidadoso da situação do mercado ajuda a neutralizar o desejo impulsivo de agir imediatamente.

“Devo fazer algo imediatamente.”

“Tenho paciência para analisar o mercado e fazer um plano de negociação. Porém, assim que inicio uma negociação e o preço se move a meu favor, surge a ideia de que não investi dinheiro suficiente e que os lucros poderiam ser maiores. Conseqüentemente, adiciono mais sem ter planejado.”

Neste caso, o erro está na transgressão das regras de gestão de risco. A decisão impulsiva de “adicionar mais alguns lotes” muitas vezes ignora o facto de que este aumento também multiplica o risco, proporcional ao número de lotes adicionados, além de introduzir riscos imprevistos.

Curiosamente, ao experimentar o súbito desejo de aumentar a exposição ao mercado, a crença comum é que haverá maiores lucros, ignorando ao mesmo tempo o facto de que as perdas crescerão na mesma proporção.

“Quando estou no mercado e o preço se aproxima do nível de take-profit, surgem dúvidas sobre a sua correta configuração. Consequentemente, ajusto-o para maximizar os lucros, pois tenho a percepção de que o movimento ainda não foi concluído e que posso obter maiores benefícios.”

Este caso de ganância é menos frequente que os anteriores. Os traders que sentem necessidade de manter a sua posição por mais tempo muitas vezes não têm a sensação de medo descrita acima.

O mercado ainda está se movendo na “direção certa”. Não há sinais que confirmem uma reversão.

O princípio Dow Jones afirma que os movimentos de preços seguem tendências, que não terminam repentinamente, entre outros motivos.

Para contrariar esta ação, é essencial colocar-se questões-chave: Onde iremos definir o novo take-profit? Qual é o limite mais vantajoso? A resposta mais lógica geralmente é: “Quando eu receber um sinal de confirmação de uma reversão do mercado, eu fecharei”.

Abra uma conta demo gratuita agora em uma corretora 100% segura

Esperança

A esperança é a última coisa que você perde! Aplica-se à negociação? Quando um indivíduo decide entrar no mundo do trading, o faz com uma perspectiva otimista do futuro.

Na verdade, ao nos comprometermos a explorar algo novo e intrigante, abordamos isso com uma atitude positiva; Caso contrário, não faria sentido começar algo novo.

No entanto, no momento em que uma pessoa começa a negociar no mercado, a esperança pode voltar-se contra ela, evoluindo de um otimismo saudável para expectativas utópicas e uma crença em milagres. De qualquer forma, é fundamental compreender o nível de esperança do trader num determinado momento.

O que é a esperança e por que o seu excesso é tão perigoso? Quando surge a esperança?

A esperança surge sempre no mesmo momento: quando a operação começa a acumular prejuízos.

Como isso se manifesta?

Essa emoção é vivenciada de diversas maneiras: um comerciante que recorre a orações a todas as divindades, que mantém diálogos mentais com o mercado e realiza outras ações peculiares.

A característica negativa mais proeminente da esperança reside na sua capacidade de absorver completamente uma pessoa, bloqueando todas as oportunidades de abordar a situação com a ajuda do raciocínio lógico.

As causas

A esperança surge de uma posição aberta no mercado (ou várias posições) que resulta em perdas. O paradoxo é que à medida que a magnitude da perda aumenta, a esperança brilha mais forte e a tendência do comerciante para confiar num milagre supera a sua confiança nas suas próprias capacidades e intelecto.

Alto risco

Até certo ponto, todos nós sentimos esperança, mas para alguns ela se torna descontrolada. É crucial ter a capacidade de gerir esta emoção através do psicotrading.

Soluções

De modo geral, uma situação esperançosa pode ficar fora de controle se um plano de negociação não for rigorosamente seguido ou se não estiver em vigor.

Se o plano de negociação for seguido à risca, o trader não enfrentará um estado de esperança em que dependa apenas de um milagre. No entanto, se o plano de negociação não for seguido à risca e as circunstâncias não favorecerem a posição, então a esperança inevitavelmente se manifestará. Nesse caso, é imprescindível estar preparado e recuperar o controle da situação.

Identificando esperança no trading

Se o trader não tiver a determinação necessária para retificar o erro e fechar a negociação com lucros menores, persistindo em esperar que o mercado atinja o seu objetivo, a situação acabará por atingir um ponto crítico, podendo mudar de direção.

À medida que o mercado se afasta dos lucros, a esperança do trader tende a se intensificar. Nesse estado, é comum que o trader não apenas tenha uma crença desesperada de que a situação vai melhorar, mas também procure fatores de apoio.

A teoria de Dow Jones sugere que os movimentos de preços se repetem, implicando que o mercado deverá eventualmente regressar aos seus valores anteriores:

  • Sinais técnicos indicam que o mercado certamente seguirá minha direção.
  • O sucesso só sorri para quem sabe esperar.
  • Posteriormente, se a operação permanecer “negativa”, poderão surgir argumentos mais comuns:
  • Não pode ser tão ruim em sua totalidade.
  • Não fecharei a ordem até que o mercado recupere os valores anteriores .
Mais cedo ou mais tarde a sorte estará do meu lado

Estes argumentos são inúteis e arriscados, pois alguns baseiam-se em elementos efêmeros como a sorte e a boa fortuna, que não têm qualquer relação com o funcionamento normal do trader.

“Há muito tempo que venho com perdas, mas neste momento sinto uma mudança no mercado, por isso decido abrir outra posição para recuperar e compensar a existente.

A situação descrita é conhecida entre os traders como “táticas de aumento de perdas”. Esta abordagem representa o caminho mais rápido para se tornar um trader malsucedido. Tentar se recuperar dessa forma é o erro mais significativo que um indivíduo pode cometer.

Enfrentar o desejo de recuperar perdas é desafiador, pois fechar uma negociação perdedora implica reconhecer o próprio fracasso para um trader. Paradoxalmente, muitos traders são mais afetados por esta percepção do que pela própria perda monetária.

“Há muito tempo venho sofrendo perdas, mas no momento a situação parece estar melhorando. Minha intenção é esperar até que o mercado volte a zero, ao nível de equilíbrio, e então fechar a posição. para restaurar a posição de equilíbrio, procederei ao encerramento imediato da ordem.”

O conceito de ponto de equilíbrio é subjetivo e não tem relevância para o mercado real. O erro reside na crença equivocada de que, sendo o mercado um sistema dinâmico, mais cedo ou mais tarde deverá retornar à sua posição original.

Isto é evidentemente falso, uma vez que o conceito de “ponto zero” ou “status quo” refere-se à neutralidade da posição perdedora. No entanto, para o mercado como um todo, “ponto zero” traduz-se simplesmente numa cotação igual a zero e nada mais.

Abra uma conta demo gratuita agora em uma corretora 100% segura

Euforia

A euforia, a alegria excessiva, muitas vezes surge de forma abrupta, gerando múltiplas experiências positivas. A principal desvantagem da euforia reside em cair numa alegria descontrolada e, consequentemente, num impacto negativo na qualidade da análise.

Em qualquer estado emocional, a eficácia do trader diminui se ele não aderir às regras do psicotrading: à medida que as emoções crescem, a qualidade das suas capacidades mentais diminui.

Neste contexto, a euforia, ao contrário, por exemplo, do medo ou da esperança, pode ser vivenciada por qualquer trader, seja ele iniciante ou profissional experiente.

  • Quando isso surge? A euforia geralmente se manifesta após uma série de operações bem-sucedidas.
  • Como se sente? Bom humor, alegria, orgulho, sensação de que tudo está dando certo e continuará dando. A cada transação positiva, a confiança fica mais forte.
As razões

Qualquer euforia começa com a alegria de uma operação bem-sucedida. Neste caso, é aconselhável reconhecer imediatamente que a alegria deve ser expressa como um sentimento de satisfação com o trabalho, de forma moderada.

O lucro é a sua compensação

Essa perspectiva deveria estar correta. Caso contrário, mesmo uma leve explosão de alegria se transformará gradualmente em euforia. Controlar a alegria através da psicologia comercial pode prevenir o aparecimento da euforia.

Alto risco

Qualquer investidor que tenha concluído mais de cinco negociações consecutivas com sucesso ou que tenha multiplicado o tamanho do seu depósito num período extremamente curto corre automaticamente o risco de cair na euforia.

A única solução é usar métodos específicos de psicotrading para mitigá-lo.

O que fazer?
  • Aprenda a abordar o trabalho com um mínimo de emoção.
  • Identifique o momento em que a alegria surge e controle-a.
Identificação da euforia na negociação

As emoções positivas desempenham um papel crucial no fortalecimento da confiança dos comerciantes. Seria incomum e errado que uma contagem positiva não gerasse emoções positivas (a insatisfação com um resultado positivo é um claro indicador de ganância).

No entanto, deve-se ter cautela quando:

Um sentimento de alegria surge após um resultado mais ou menos positivo, mesmo sem seguir o plano de negociação. A sensação de alegria persiste por mais de meia hora. A alegria se manifesta de forma excessivamente efusiva e excitada.

A gestão desta situação pode ser abordada da seguinte forma. Para aproveitar o sucesso de uma negociação, demora um pouco, aproximadamente 20 minutos após fechá-la. Após esse período, evite abrir novos negócios em hipótese alguma.

Recomenda-se que decorram pelo menos várias horas entre uma posição bem sucedida e a próxima operação (no caso de operações intradiárias) ou pelo menos vários dias (se for uma posição de médio ou longo prazo).

Fazer uma pausa no trabalho atua como um mecanismo de inibição dos processos químicos e hormonais associados ao pensamento motivado pela emoção.

Realize uma análise de sucesso com a abordagem de psicotrading

Qual foi o resultado do lucro? Foi planejado ou foi um evento casual? O resultado atendeu às suas expectativas? Você esperava mais do mercado? Correu como planeado ou desviou-se do plano?.

A análise deve centrar-se na essência da questão: sente-se satisfeito porque o seu plano de negociação valeu a pena ou porque teve sorte?

Se a sorte esteve a seu favor, de modo geral, não há motivo para alegria excessiva.

“Tenho lucros porque sei sempre quando devo entrar no mercado e quando é altura de fechar a posição. Penso que esta é a minha abordagem. No final, a intuição também é importante!”.

Este exemplo é significativamente mais arriscado do que o anterior, uma vez que confiar na intuição raramente garante o sucesso real, o que normalmente é alcançado após meses de negociação estável no mercado.

Se o investidor tiver sorte, poderá sentir satisfação, mas será difícil transformá-la em sucesso sustentado.

“Muitas vezes entro no mercado imediatamente após uma negociação bem sucedida porque tenho de ‘bater no ferro enquanto está quente’. Tive uma série de sucessos e não posso deixá-los escapar. O destino sempre me favorece quando ajo de forma decisiva.”

Este argumento é semelhante ao anterior, mas ainda mais problemático porque se refere a elementos efêmeros como o sucesso ou o destino.

Além disso, o perigo é que, à medida que se “aproveita a onda”, a atenção à gestão de riscos e ao planeamento diminui. Neste estado de euforia, o sentimento de medo é mínimo e os riscos não são devidamente calculados.

Em todos estes casos, a opção mais sensata é ter um plano de negociação sólido e cumpri-lo. Pode não gerar lucros imediatamente, mas provavelmente o ajudará a evitar perdas significativas e a alcançar o sucesso a longo prazo.

Psicotrading e intuição

A psicotrading e a intuição estão inter-relacionadas no domínio das finanças, mas a sua relação é complexa e requer uma compreensão cuidadosa.

A intuição, neste contexto, refere-se à capacidade de tomar decisões rápidas e precisas com base na experiência e no conhecimento acumulado.

Alguns traders bem-sucedidos atribuíram parte do seu sucesso à intuição afinada, mas é crucial compreender que a intuição não é infalível e pode ser influenciada por preconceitos cognitivos.

O psicotrading centra-se na gestão das emoções e no desenvolvimento da disciplina mental no processo de tomada de decisões financeiras.

Embora possa ajudar os traders a controlar emoções prejudiciais, como o medo e a ganância, não melhora necessariamente a intuição em si. Em vez disso, o psicotrading fornece uma estrutura para a tomada de decisões mais racionais e menos impulsivas.

Para melhorar a intuição na negociação, a chave é a combinação de experiência e formação sólida. A exposição constante aos mercados, o profundo conhecimento dos ativos e a análise técnica e fundamental contribuem para fortalecer a intuição do trader.

Complementar este processo com práticas de psicotrading pode ajudar a evitar decisões impulsivas baseadas em emoções negativas.

Exemplo sobre intuição

Vamos imaginar que um trader participa ativamente no mercado cambial, especificamente no par EURUSD, por um período prolongado, pelo menos seis meses.

Num determinado dia, ao começar a analisar o ambiente de mercado e abrir o gráfico, o trader antecipa de forma clara e precisa uma mudança nos preços.

Por exemplo, visualize uma fase inicial de estabilidade no gráfico seguida por um declínio acentuado. Posteriormente, prevê uma volatilidade acentuada no mercado, durante a qual o euro se apreciará face ao dólar, embora não atinja os máximos anteriores. Por fim, ele prevê uma queda breve, mas intensa, do mercado.

Esta imagem detalhada dos movimentos futuros do mercado é revelada com tal clareza que levanta a questão da origem de tal percepção relativamente às flutuações do mercado.

Ao mesmo tempo, a confiança de que este cenário se desenrolará exatamente como previsto chega a 100%.

Abra uma conta demo gratuita agora em uma corretora 100% segura

Psicologia de mercado

Refere-se ao estudo e compreensão das emoções, comportamentos e padrões psicológicos que influenciam as decisões dos investidores e, portanto, os movimentos do mercado.

Um dos aspectos-chave da psicologia do mercado é compreender como as emoções humanas, como o medo, a ganância, a esperança e a euforia, podem afetar as decisões financeiras.

O medo pode levar à venda de ativos, enquanto a ganância pode levar a compras impulsivas. A esperança pode manter os investidores agarrados a posições perdedoras e a euforia pode resultar em decisões irracionais baseadas no excesso de confiança.

O conceito de “mente de mercado” refere-se à percepção coletiva dos participantes do mercado. Quando a maioria dos investidores partilha uma visão otimista, isso pode levar a um mercado em alta, enquanto uma visão pessimista generalizada pode levar a um mercado em baixa.

Gerenciar emoções é essencial para os traders. Psicotrading é uma disciplina que se concentra em como os traders podem controlar e gerir as suas emoções para tomar decisões mais racionais.

Isto envolve criar e seguir um plano de negociação, estabelecer limites de lucros e perdas e reconhecer preconceitos cognitivos que podem afetar a tomada de decisões.

Além disso, compreender a psicologia do mercado envolve a análise de padrões e comportamentos históricos recorrentes. Os analistas técnicos estudam frequentemente gráficos e tendências passadas para prever possíveis movimentos futuros, tirando partido da psicologia coletiva que tende a repetir-se.

Psicotrading e a gestão emocional do investidor

Estratégias para melhorar as habilidades de psicotrading

O desenvolvimento de habilidades eficazes de psicotrading é essencial para ter sucesso nos mercados financeiros. Algumas estratégias-chave para melhorar e fortalecer essas habilidades:

Autoconhecimento e autoavaliação

Antes de abordar o mercado, é fundamental ter um conhecimento profundo de si mesmo. Os traders devem avaliar os seus próprios pontos fortes e fracos, objetivos financeiros e tolerância ao risco. Essa autoavaliação fornece uma base sólida para o desenvolvimento de estratégias alinhadas ao seu perfil e objetivos.

Preparação de um plano de negociação

Um plano de negociação bem estruturado funciona como um mapa que orienta as decisões e ações do trader. Inclui regras claras para entrada e saída de negociações, gestão de risco e limites de lucros e perdas. Seguir um plano reduz a influência das emoções impulsivas e incentiva a disciplina.

Gestão de riscos

A gestão adequada dos riscos é essencial. Isto envolve determinar quanto capital arriscar em cada negociação, definir stop loss e usar ordens de stop loss. Uma forte gestão de riscos protege contra perdas significativas e contribui para a estabilidade emocional.

Controle emocional

Emoções como medo e ganância podem atrapalhar o julgamento e levar a decisões impulsivas. Praticar técnicas de controle emocional, como meditação ou visualização, pode ajudá-lo a manter a calma sob pressão e a tomar decisões mais racionais.

Aprendizado contínuo

Os mercados financeiros estão em constante evolução. Manter-se informado sobre as tendências do mercado, notícias econômicas e eventos geopolíticos é crucial. A educação continuada proporciona uma vantagem competitiva e melhora a confiança dos comerciantes.

Revisão pós-operatória

Depois de fechar uma negociação, é essencial realizar uma revisão objetiva. Analisar o desempenho, identificar acertos e erros e ajustar estratégias conforme necessário contribui para o desenvolvimento constante.

Estabelecendo metas realistas

Definir metas alcançáveis e realistas ajuda a manter uma perspectiva de longo prazo. Os traders devem evitar cair na armadilha de procurar lucros exorbitantes em períodos curtos, o que pode levar a comportamentos impulsivos e riscos desnecessários.

Abra uma conta demo gratuita agora em uma corretora 100% segura

Para saber mais sobre psicotrading

A literatura especializada em psicotrading é uma ferramenta valiosa para os traders que procuram melhorar o seu desempenho através do domínio das competências psicológicas necessárias.

Os melhores livros para aprender sobre psicotrading:

  1. “Trading na Zona” de Mark Douglas : Considerado um clássico no campo da psicotrading, este livro explora a importância da mentalidade e da psicologia no sucesso comercial. Douglas fornece insights profundos sobre como os traders podem superar obstáculos mentais e maximizar seu potencial.
  2. “O Jogo Interior do Trading”, de Jared T. Pryor : Pryor mergulha na psicologia da negociação, abordando tópicos como gerenciamento emocional, tomada de decisões e melhoria do desempenho por meio do controle mental. Oferece estratégias práticas para desenvolver uma mentalidade mais disciplinada e focada.
  3. “Psicotrading: Gestão Emocional do Investidor” de Rubén Villahermosa : Villahermosa aborda a gestão emocional desde uma perspectiva prática, fornecendo técnicas específicas para controlar as emoções e minimizar os efeitos negativos na negociação. Oferece conselhos concretos para enfrentar os desafios psicológicos do mercado.
  4. “The Daily Trading Coach”, de Brett N. Steenbarger : Este livro oferece um guia diário para melhorar as habilidades psicológicas de negociação. Steenbarger, psicólogo e trader, oferece exercícios práticos, reflexões e tarefas para ajudar os traders a fortalecerem sua disciplina mental.
  5. “Mindful Trading: Mastering Your Emotions and the Inner Game “, de Rande Howell : Howell se concentra na importância da atenção plena na negociação, destacando como o cultivo da consciência pode melhorar a tomada de decisões e o gerenciamento emocional. Fornece estratégias para desenvolver a mentalidade certa em diferentes situações de mercado.

Estes livros são uma combinação de teoria e prática, oferecendo aos traders recursos úteis para melhorar a sua abordagem psicológica e alcançar um desempenho mais consistente no excitante mundo do trading.

Abra uma conta demo gratuita agora em uma corretora 100% segura

Alberto Carranza

Diretor e desenvolvedor de empreendimentos online. Especialista em aplicações financeiras como forex, ações, criptomoedas. Pesquisador de novos mercados disponíveis para pessoas com conhecimento financeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *