Bitcoin – Quanto menor a volatilidade, maior será a reaproximação institucional

O Bitcoin, nas últimas semanas, tem mostrado maior domínio sobre a volatilidade, essa condição abrirá as portas para uma maior bitcoinabordagem institucional, segundo o JP Morgan.

Esses sintomas que tendem à estabilização da volatilidade da criptomoeda são encorajadores.

Isso foi revelado pelos especialistas da casa, juntamente com Nikolaos Panigirtzoglou, em um documento informativo na última quinta-feira e ao qual pudemos ter acesso.

Glossário do conteúdo do artigo:

Escolha um corretor seguro e regulamentado e invista em os melhores ativos em 2021

Nesse sentido, eles apontam que a menor volatilidade do Bitcoin, pode estimular o interesse de outras instituições importantes em abordar este tipo de moeda digital em um futuro próximo. Quais são as razões?

Entre 90 e 73%, o recorde de volatilidade do Bitcoin

Nos primeiros três meses do ano, a volatilidade tem comportado uma queda de 86%, após ter ficado acima de 90%, conforme relatado por esses estrategistas. Em fevereiro era de 90%, mas o estudo, por seis meses consecutivos, mostrou estabilidade próxima a 73%.

Essa métrica prenuncia que, à medida que a volatilidade diminui e se estabiliza, mais instituições se aproximarão e se envolverão no espaço criptográfico.

O nível de volatilidade da criptomoeda manteve as instituições à distância, situação considerada essencial para a gestão de riscos; porque quanto maior a volatilidade de um ativo, o capital de risco consumido por ele também aumenta.

Nesse sentido, os maiores bancos dos Estados Unidos não oferecem atualmente acesso direto a essa criptomoeda, nem seus equivalentes. É um exemplo do que acontece.

No entanto, em Wall Street, algumas das empresas mais experientes estão começando a ter mais interesse no Bitcoin, após endossar uma variação de 300% no ano passado e 100% nos primeiros três meses de 2021.

A Banca espanhola dividida pelo Bitcoin

O sistema bancário espanhol está dividido, pois as posições são bastante heterogêneas, se comparadas com o comportamento da banca americana; Isso foi confirmado no fórum organizado pela revista INVERSIÓN sobre private banking.

O diretor-geral da subsidiária Sabadell Urquijo Banca Privada, Pedro Dañobeitia, anunciou que “estamos muito atentos à criptomoeda e ela acabará nas carteiras com grande segurança”.

Enquanto isso, entidades como o BBVA e o Banco Santander se comportaram com mais cautela.

Sabadell Urquijo Banca Privada não está sozinho em sua apreciação do Bitcoin; O Goldman Sachs declarou recentemente que está perto de oferecer veículos de investimento para criptomoeda, bem como outros ativos digitais para clientes patrimoniais privados.

Outra instituição que mostra mudanças é o Bank of New York Mellon, com sede operacional na Espanha, que trabalha no desenvolvimento de uma plataforma de ativos, sejam eles tradicionais ou digitais.

A isso se soma o Morgan Stanley, que programa para seus clientes especialistas, a participação em 3 fundos com o objetivo de permitir a propriedade deste tipo de moedas digitais.

Para o JP Morgan, parte do interesse no Bitcoin durante esses dois trimestres se deve ao ouro. Os números que movimenta indicam que 7 bilhões de dólares são para entradas em fundos de criptomoeda e 20 bilhões de dólares para saídas de fundos negociados na bolsa que busca o metal dourado.

Um impulso extra para Bitcoin

Enquanto o sistema bancário se comporta de forma heterogênea, o Bitcoin recebe um impulso adicional para sua aceitação futura pelas instituições, graças às recentes mudanças na estrutura de correlação desta moeda digital em relação a outros ativos tradicionais.

Panigirtzoglou confirma que as correlações entre esses ativos caíram nos meses do início do ano, fazendo com que o Bitcoin fosse mais atraente para carteiras multiativos, se focarem na diversificação; e menos impotente às flutuações do dólar.

Mas a questão não é só bancária, já que o JP Morgan recomendou ter a criptomoeda em carteira, mesmo empresas de referência em sistemas de pagamento como a Visa, declaram abertamente que aceitarão o uso do Bitcoin em suas negociações.

Elon Musk, dono da Tesla, dedicou os três meses do ano, em sua conta no Twitter, uma lista de mensagens alusivas ao investimento em Bitcoin. Ela aceitará essa criptomoeda para seu negócio de carros elétricos.

Em apoio ao Bitcoin, Cathie Wood, que atua como diretora de investimentos da ARK Investment, também apareceu.

De acordo com essa personalidade, ela está satisfeita em ver “uma correção saudável quando nenhum mercado está subindo”. Isso ocorreu quando a criptomoeda custava US $ 49.000.

Por que a banca opta pelo Bitcoin?

Aparentemente, essa virada “repentina” se deve ao poder que a tecnologia blockchain vem desenvolvendo.

A capitalização de moedas virtuais atingiu mais de 250 bilhões de dólares e, segundo especialistas, em pouco tempo será a forma de pagamento exclusiva de 5% da população.

No entanto, a usabilidade dessas moedas virtuais é vigorosamente estendida ao setor comercial e os bancos não podem ficar de fora.

O banco quer continuar sendo o intermediário em um mundo onde apenas o pagador e o recebedor da operação são necessários.

Assim, ele começou a ver o blockchain como a ferramenta de que precisa para iniciar suas transformações, em face da desregulamentação produzida por uma moeda virtual como o Bitcoin.

Outro fator a ser considerado na era das criptomoedas e no mundo digital é que as finanças globais estão colidindo com tudo o que é emitido no papel.

Os protagonistas em blockchains são identificados diretamente e facilitam as transações; o que sugere apertar a cerca contra lavagem de dinheiro, fraude fiscal, entre outros.

Por outro lado, a banca tem um historial que aponta para a utilização de blockchain, sete bancos, entre os quais se destacam o Santander, Goldman Sachs e outros, foram dos primeiros a movimentar os seus negócios com este sistema.

O ímpeto para esse tipo de transação inequivocamente, segundo especialistas, veio de Wall Street. Suas grandes firmas de investimento foram as que pegaram o bastão e agora têm vantagens.

Escolha um corretor seguro e regulamentado e invista em os melhores ativos em 2021

admin

Diretor e desenvolvedor de empreendimentos online. Especialista em aplicações financeiras como forex, ações, criptomoedas. Pesquisador de novos mercados disponíveis para pessoas com conhecimento financeiro.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *